Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

Intenso, demasiado intenso

Intenso, demasiado intenso este novo album dos britânicos Portishead, após uma década de espera. Chama-se "3". É uma proposta de fim de semana. Por agora, tenho de ir ao quiosque comprar o jornal Público. Ouvi dizer que há um destaque à filosofia. E, para amanhã. temos o início da colecção de Grandes Pensadores.

Rolando Almeida

Valeu mesmo a pena traduzir

O best seller de Al Gore editado entre nós pela Esfera do Caos, é um livro potente para desmascarar as peias com que se ergue o poder, principalmente o norte americano, na sociedade dos nossos dias. Não se trata de uma obra que respire da versatilidade de raciocínio de um Sobre a Liberdade de Stuart Mill. É, ainda assim, um livro que nos traça um retrato histórico e incomodativo sobre os dias da Administração Bush. Claro que ainda falta traduzir para português a obra de Peter Singer, G. W. Bush, o presidente do bem e do mal, um livro que respira claramente para os lados da filosofia no ramo da ética aplicada. O livro de Al Gore não possui a sofistificação filosófica dos textos de Singer, mas mesmo assim é uma obra que nos lança ao debate sobre os fundamentos da democracia. Pela minha parte prefiro a análise de Singer à de Al Gore, mas detive-me umas horas sobre este livro e deixo uma nota de urgência para o que o autor nos revela. Já vai na 2ª edição pela Esfera do Caos. Al Gore, foi prémio Nobel da Paz em 2007. Uma nota final (apesar de me tornar repetitivo) para a qualidade material destes livros. Dá gosto tê-los nas mãos. Um pequeno luxo a um preço modesto.
Al Gore, O ataque à razão, Esfera do Caos, 2008 (2ª ed), Trad. Mariana Pardal Monteiro

Mais que um manual

Porque é mais que um manual, A Arte de Pensar constitui também um bom livro para quem pretende iniciar-se à filosofia. A edição para o 11º ano está pronta, para a qual desejo as maiores felicidades em nome de um ensino da filosofia que se pretende rigoroso e didacticamente orientado, para além de ser um dos raros manuais de filosofia portugueses que ensina filosofia. Fica a apresentação.
 
Rolando Almeida

Diz-me que manual preferes e dir-te-ei como ensinas

Depois do desafio que lancei aos professores de filosofia para a crítica pública de manuais, é chegada uma segunda resposta, após a da Cátia Faria, desta vez do professor Valter Boita, professor de filosofia do ensino secundário. Fica o texto para apreciação de todos e a palavra de agradecimento da minha parte.

Diz-me que manual preferes e dir-te-ei como ensinas
 
            Têm proliferado os comentários, uns mais argutos outros mais incautos, sobre a avaliação dos professores. Não há avaliação dos professores em abstracto, dever-se-ia falar de avaliação dos professores de Educação Visual, de Português ou de História, em particular. E uma boa régua para medir a qualidade dos professores é a adopção de manuais. Ainda que jocosa, pretendo esclarecer a seguinte afirmação: diz-me que manual adoptas, dir-te-ei que professor és. Talvez esteja a incorrer numa hipérbole, contudo, irei apresentar razões que mostram que esta minha posição pode ser aceitável. Por outro lado, irei apenas ater-me aos manuais de filosofia, a fim de evitar generalizações precipitadas.
            Valter Boita

Mindfucking

O novo livro de Colin McGinn leva o sugestivo título de Mindfucking,. Segundo o que li no blog do filósofo, ao estudar religião aprofundou o seu interesse pelo tema da manipulação psicológica. Antes da sua publicação oficial, McGinn falou no livro a algumas pessoas que pensaram tratar-se de alguma brincadeira ou provocação, mas na realidade trata-se de um trabalho sério sobre como as mentes humanas podem ser manipuladas por outras pessoas, os media, governos, etc… Quem me dera poder traduzir o título deste livro sem ser tomado por mal educado!
Ficamos a aguardar o interesse de algum editor português.
Em português, de Colin McGinn temos traduzido,
Como se faz um filósofo?, Bizâncio (Ver aqui e aqui)
Rolando Almeida

Manuais Escolares

Em resposta ao meu apelo inicial para os professores se pronunciarem sobre manuais escolares, recebi uma resposta bem reflectida da professora de filosofia, Cátia Faria. Publico o texto na integra.
 
Manuais Escolares
 
A escolha de manuais é um momento de grande divergência e polémica nas escolas e, em particular, no Grupo de Filosofia. Defendo que ainda bem que há essa divergência, sendo, contudo, certo que alguém está errado nesse confronto. Gostaria aqui de recordar os principais critérios que orientam habitualmente esta escolha, chamando a atenção para alguns equívocos e contradições que o seu cumprimento poderá levantar.
 Cátia Faria

Semana da História na EBS Gonçalves Zarco

A nossa escola, a Básica e Secundária Gonçalves Zarco, no Funchal, apresenta a Semana da História. Desde exposições, pedipaper, filmes, conferências, etc... vão possibilitar aos estudantes e professores um convívio natural e saudável, fora das salas de aula, com os conteúdos da disciplina de história. Entre todas as actividades, também eu vou colaborar com uma palestra na sala de sessões, dia 12, Quarta Feira, pelas 10 horas, intítulada, «O papel da história na filosofia». Espero que todos participem e aprendam mais história. A semana decorrerá entre os dias 10 e 14 de Março.

Críticas à teoria ética de Kant

Apresento aqui uma série de primeiras críticas à ética Kantiana. Os textos são da autoria de Luís Rodrigues e pertencem ao seu manual de Filosofia, para o 10º ano, publicado na Plátano sendo um dos melhores manuais disponíveis para ensinar e aprender filosofia. Agradeço ao autor a autorização para publicação destes excertos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D