Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

Mais outra pesquisa simples. Onde param os Lehrbücher?

Desta vez quis saber dos manuais de filosofia. Os números traduzem o interesse que os diferentes países possuem em matéria de divulgação filosófica. A produção em língua inglesa é, mais uma vez, esmagadora, impressionante mesmo, o que prova bem do interesse em fazer manuais de filosofia em países como a Inglaterra ou Estados Unidos e do interesse bem menor nos países como Alemanha e França. E é também sinal evidente da inércia das academias tanto francesa como alemã em matéria de publicação e investigação filosófica. Nós, por cá, com 50 anos de atraso, continuamos a venerar as academias caducas e a pensar que não se pode saber filosofia sem saber falar alemão. Na filosofia, afinal, estamos ainda pior do que nos proverbiais comboios, que costumam ser usados como exemplo do nosso atraso significativo. Quando se usa o argumento de que a quantidade não é sinónimo de qualidade, o exemplo português é um belo contra exemplo. Temos pouco mais que uma dezena de manuais de filosofia, dos quais, somente dois ou três realmente se aproveitam para bem ensinar a pensar. Nos casos alemão e francês existe toda uma cultura sólida a sustentar a inércia actual. Quando falamos de Europa e revitalização da mesma, deve ser nisto que devemos andar a pensar. E uma Europa que não produza, condena-se ao fracasso. Países como a Austrália, Inglaterra, Nova Zelândia ou EUA, nos quais o estudo da filosofia é cada vez mais incentivado com publicação de livros e manuais, são também os países que mais e melhores filósofos produzem. É o óbvio ciclo das coisas, mas, ao que parece, não tão óbvio para a teimosa e obscura chamada filosofia continental, que poucos ou nenhuns filósofos produz com relevância e projecção. Venham agora as desculpas e as lamúrias do costume.
Os dados estão aí. A pesquisa foi feita nos vários Amazons e a busca foi por, Philosophie Lehrbuch, em alemão, Manuel de Philosophie, em francês, Textbook of philosophy, para o caso inglês e americano.
País:
Busca por:
Totais:
Alemanha
Philosophie lehrbuch
155
França
Manuel de philosophie
286
Inglaterra
Textbook of philosophy
2.056
EUA
Textbook of philosophy
4.445
 
Rolando Almeida
 
 

Uma pesquisa simples

Como sabemos, o Amazon, nas suas versões francês, alemão, inglês e norte americano, constitui o maior centro de vendas de livros do mundo inteiro. O Amazon é um mercado imenso que tanto vende livros usados como novos e com uma garantia de confiança de alto nível, como já aqui falei noutro post.
Recentemente resolvi fazer uma pesquisa rápida pelos vários Amazons para verificar qual é que dispunha de mais livros de filosofia para venda. Claro que a minha pesquisa é pouco precisa, com efeito, indicadora de alguns factos que podem servir de base para alguns teimosos perceberem de uma vez por todas que a cultura já se fez em língua francesa e alemã, mas, actualmente, para o bem e para o mal, faz-se, em grande parte, em língua inglesa. O argumento que mais tenho ouvido é que quantidade não significa qualidade, mas os números apresentados são arrasadores e mais arrasadores são se pensarmos que o número de publicações em língua francesa e alemã, cerca de metade são de traduções de obras em língua inglesa. O mercado de livros de filosofia em inglês é esmagador, bem como o número de publicações, em quantidade e qualidade. Há quem diga que, perante factos, não há argumentos. Eis os factos. Escolhi três categorias representativas: busca de livros por, filosofia geral, ética e lógica.
Categoria
Amazon Inglês
Amazon Americano
Amazon Francês
Amazon Alemão
Filosofia geral
103.945
114.929
32.000
36.898
Obras de ética
10.721
21.931
525
Não identificado
Obras de Lógica
3526
9.197
97
Não identificado
 
Perante estes números,  não se compreende porque é que em Portugal muitas pessoas insistem que as academias francesas e alemãs publicam mais em quantidade e qualidade que as suas congéneres norte americanas e inglesas. Só mesmo por casmurrice e falta de compreensão do que se anda a passar no mundo.
Rolando Almeida

Razões para acreditar em deus

Há relativamente pouco tempo, surgiu, na secção de comentários deste blog, uma pergunta que me era dirigida: que razões tenho eu para não acreditar em deus? Convém esclarecer alguns pontos. Em primeiro lugar não se pode esperar que eu dê uma resposta conclusiva. De repente, do nada, eu que nem sequer conheço toda a argumentação em torno do problema da existência ou não existência de deus, apresentava neste modesto blog um conjunto de razões implacáveis para que os seres humanos deixassem de acreditar em deus. Imagine-se que eu conseguiria produzir o mesmo efeito para outras coisas, como obter dinheiro, felicidade, etc… de repente passaria a ser tomado como feiticeiro ou o próprio deus.
Rolando Almeida

Zarco foi às compras

Apresento aos colegas e alunos a lista de obras adquiridas para este ano pela biblioteca da nossa escola, a Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco – Funchal. As obras na biblioteca terão a vitalidade que lhes queiramos impor. Aqui está um documento que ajuda a enquadrar as obras da colecção Filosofia Aberta nos programas de 10º e 11º anos.
Segue a lista:
Daniel Kolak, Martin Raymond, Sabedoria sem respostas, Temas & Debates
Da colecção Filosofia Aberta da Gradiva:
Nigel Warburton, elementos básicos de filosofia
Jonathan Wolf, introdução à filosofia política
James Rachels, elementos de filosofia moral
Simon Blackburn, Pense, Uma introdução à filosofia
Peter Singer, ética prática
Anthony Weston, A arte de argumentar
Thomas Nagel, que quer dizer tudo isto? Uma iniciação à filosofia
Rolando Almeida
 

100 experiências mentais filosóficas

Contém 100 experiências mentais filosóficas - seria com esta frase concisa que poderíamos descrever sumariamente este livro. A partir de cenários fictícios, adaptados, na sua maioria, de textos originais clássicos — de que o autor fornece a fonte — apresenta-nos, com renovado frescor e rigorosa concisão, problemas, desafios e dilemas clássicos (e alguns não tão clássicos) da Ética, da Estética, da Filosofia da Acção, da Filosofia da Mente e da Linguagem, da Filosofia da Religião e da Epistemologia., muitos deles evocando a aparente irredutibilidade das aporias.
Paulo Lopes

Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D