Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

Astrologices – o rei vai nu

csaganummundoinfestadodedemonios Há relativamente poucos dias passou pelo blog um visitante que defendia a astrologia como conhecimento. Afirmou que existem relações de proximidade entre astrologia e filosofia. Gostava de saber em relação a quê a astrologia não possui relações de proximidade? Mas fica sempre bem reclamar relações de proximidade com a filosofia. Dá bom ar à coisa. E fica também bem reclamar essa proximidade com a ciência. Daí que não seja invulgar encontrar papelitos no para brisas do carro a propor consultas com o Mestre Mamadú, cientista espiritual. Fiquei a pensar a razão pela qual aparece um visitante no meu blog a reclamar a proximidade entre filosofia e astrologia! Quando declarei o meu parecer sobre a astrologia, que tal coisa não passa de aldrabice muito mal montada, que devemos respeitar as evidências se queremos falar a sério de alguma coisa, o meu visitante afirmou que não devo negar um conhecimento que desconheço. E insistiu várias vezes neste argumento, o que acabou por me irritar pois não passa de um argumento que parte de premissas pré fabricadas, nomeadamente aquela que afirma “se não concordas comigo é porque não conheces o que eu conheço”. Ora isto não é mais do que uma tentativa maldosa para calar o outro, para abafar a discussão e para impor as ideias que nos aconchegam a alma.

Quando interpelei o meu visitante perguntando se estaria disposto a abandonar as ideias astrológicas, disse que sim, mas momentos antes tinha afirmado que se eu compreendesse a astrologia percebia a crise económica que estamos a atravessar neste momento no planeta. E isto assim, sem qualquer respeito pelo trabalho sério, pelo estudo, pela investigação, rigor, etc.

Parto do princípio (discutível é certo) que a astrologia é popular dada a vagueza das suas conclusões. É mais fácil e mais imediato acreditar nas patetices astrológicas do que dar-se ao trabalho de colocar alguns neurónios a estabelecer raciocínios, a pensar. A astrologia, pelo contrário, oferece explicações simples e com a aparência de profundidade. Dessa aparência reclama-se a relação com a filosofia, ciência, etc.

Um dos livros que conheço e que melhor mostram que o rei vai nu quando falamos de astrologia é de Carl Sagan, Um mundo infestado de demónios, Gradiva. As livrarias estão hoje em dia cheias de livros de astrólogos e pseudo cientistas. Numa época de apertos de todas as qualidades é natural que a estupidez tome proporções desmesuradas e que a astrologia ocupe o lugar da salvação no desespero. Mas também existem muitos e bons livros que mostram a mentira e palhaçada que é a astrologia.

Sempre me intriguei por que raio os astrólogos aquecem as torradas nas torradeiras e não nas bolas de cristal e por que raio vão ao dentista quando lhes doem os dentes. É o destino.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D