Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

A Filosofia no Ensino Secundário

Novidades editoriais de interesse para estudantes e professores de Filosofia.

Dinheiro como valor instrumental para a felicidade

Sem título Hoje deparei-me com um inquérito no portal da Sapo sobre uma conferência do tema “dinheiro / felicidade” o inquérito questiona os visitantes se o dinheiro é ou não é felicidade ou se ajuda a ser feliz. Claro que a resposta exige múltiplos argumentos e contra argumentos. Mas, para abreviar, se nos centrarmos na tese que defende que o dinheiro traz felicidade basta pensar nos milhares de casos em que as pessoas tem dinheiro mas não são felizes, casos esses que constituem bons contra exemplos. Isto para não pensar que o próprio dinheiro é que acarreta infelicidade numa parte significativa dos casos dos ricos infelizes. Uma das razões pela qual isto acontece com alguma frequência é porque as pessoas, no geral, tendem a confundir valores últimos com valores instrumentais. Ora, o dinheiro, independentemente se é um acontecimento bom ou mau possui um valor instrumental. Como valor instrumental ele tanto pode como não contribuir para a felicidade de alguém. Uma das excelentes leituras que me lembro de ter feito sobre este problema é a de Peter Singer, Como havemos de viver? A ética numa época de individualismo, Dinalivro. Mas também recordo um capítulo de um ensaio do filósofo francês Pascal Bruckner que diz qualquer coisa como (adaptado): “se o dinheiro não vos tráz felicidade podem depositá-lo na minha conta (pedir NIB)”.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D