Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

Acontecimento do ano na divulgação científica e filosofia

Aquele que considero o melhor momento de 2007 em matéria de divulgação da ciência e do conhecimento em geral, é o blog De Rerum Natura. Se existissem pelo menos mais uns 10 blogs semelhantes a este realizados por filósofos, físicos, matemáticos e outros, era sintoma que o país ia bem melhor em matéria de divulgação. O debate de problemas da filosofia e da ciência deve ser público.
Rolando Almeida

Seria ideal que as televisões em vez de exibirem telenovelas nos horários nobres, exibissem debates, por exemplo, sobre a moralidade do aborto, sobre o criacionismo vs evolucionismo, etc… Claro que estes debates acontecem, mas, na maioria das vezes, não para se debater racionalmente o problema X, mas antes para dar voz a tendências partidárias ou religiosas, não passando de um oportunismo mediático de propaganda e ideologia. De vez em quando é verdade que existem tentativas de fazer debates sérios, mas resta questionar onde param os especialistas para debater o problema X ou Y? Recordo, durante o ano de 2007, a RTP ter feito a “Grande Entrevista” sobre a problemática do aborto a Alexandre Quintanilha, um cientista. Quando a entrevistadora faz a primeira pergunta ao cientista, quando começa a vida, o cientista fez a entrevistadora engolir em seco quando lhe responde, “não sei”. E mais: o cientista saiu literalmente da ciência para discutir o certo e o errado no problema moral do aborto. Ao mesmo tempo, para Pedro Galvão, que publicou em 2005 o documento filosófico mais importante em língua portuguesa sobre a ética do aborto, teve direito a pouco mais que 5 minutos, num canal por cabo. Dou este exemplo porque parece-me que ele expressa bem a falta que nos faz o debate público, com gente especializada a entrar no debate, sem medo e com a coragem intelectual necessária para inteligentemente saber discutir sem ganhar inimizades. Mas esta realidade é quase inexistente em Portugal, ou pelo menos, muito mais apagada do que seria necessária. À falta disso, a alternativa é ouvir um convidado, opinion maker, semanalmente na TV (Marcelo Rebelo de Sousa e Miguel de Sousa Tavares) que, na maioria das vezes, mais não fazem do que dar a sua opinião subjectiva, infundada, valendo-se somente do nome firmado na praça, mas sem qualquer sustentação intelectual que seja mais do que a expressão dos seus odiozinhos de estimação anti ou pró poder. Discursos inflamados, portanto, mas com pouca acuidade racional. O De Rerum Natura é uma lufada de ar fresco. Neste blog participam vários nomes das universidades portuguesas, de áreas diferentes e todos com o propósito comum e nobre de divulgar e debater. Por essa razão, temos numa linguagem clara e acessível a oportunidade de discutir e aprender com os próprios autores. Claro que, muitas das vezes, a maioria mesmo, os problemas em análise são pouco pacíficos, mas na ciência ou filosofia a realidade é mesmo essa. A ciência e a filosofia são, antes de tudo, espaço de debate e é com a dose certa de cepticismo que se deve entrar nesse mundo, que é o nosso mundo. Claro está também que o reaccionarismo é uma consequência imediata, como se pode observar nas centenas de comentários, a maioria dos quais, anónimos. Mas esse reaccionarismo só revela que a atitude dos autores do De Rerum Natura é ainda e infelizmente, muito invulgar no nosso país, de brandos costumes e ideias feitas. A maioria dos comentadores revela pouco à vontade na discussão racional de ideias e problemas, muito provavelmente por falta de hábito de leitura, debate e discussão dos problemas que começam e chocam nas nossas crenças mais básicas. Mas na ciência e muito menos na filosofia, existe o hábito de dar palmadinhas nas costas. Na ciência e na filosofia lida-se com a verdade, quando ela se afigura como a realidade esperada. E a verdade é implacável com as nossas emoções. Pode, muitas vezes, estar muito para além das nossas emoções e das nossas crenças. O Rerum Natura tem o mérito de lançar a discussão, a polémica da vida e de nos mostrar, em língua portuguesa, que quando lidamos com ideias e razões, nada é confortável e pacífico como no habitual rebanho.
Obrigado aos autores pela oportunidade em os ler.
Rolando Almeida


publicado por rolandoa às 23:04

link do post | favorito
2 comentários:
De anonimo a 29 de Dezembro de 2007 às 12:45
O de rerum natura é bom. Mas podia ser melhor.
infelizmente está muito virado para o ateísmo (mas finalmente começaram a publicar alguma coisa sem ser ateísmo [ex: Alfredo Dinis]). É sinal de equilíbrio. mas é necessário ainda trabalhar por uma maior igualdade.
De rolandoa a 29 de Dezembro de 2007 às 13:22
Caro Anónimo,
Poderia ser sempre melhor, mas, como quase sempre, é o único que temos. Os artigos de Alfredo Dinis são desiquilibrados e pouco filosóficos. A questão é que ainda está por aparecer o teólogo que saiba justificar as suas crenças racionalmente, analisando os principais argumentos em discussão. Estou a lembrar-me, por exemplo, dos teólogos britanicos Anthony Kenny e Richard Swinburne. De resto, talvez eu esteja errado no que lhe vou dizer, mas parece-me algo natural, nos dias que correm, que um blog de divulgação científica, recaia no lugar mais ou menos comum do evolucionismo vs criacionismo. É umaquestão que tem dado que falar e não vejo motivo para que em língua portuguesa tal não aconteça. Os posts de Alfredo Dinis não entram na discussão. Aliás, Alfredo Dinis, fugiu a toda a hora da discussão, limitando-se a afirmar que a crença em deus é uma experiência que foge à linguagem, ainda que o expresse na linguagem. Quando interpelei Alfredo Dinis dizendo-lhe que não estava a argumentar filosoficamente, o próprio afirmou que não era sua intenção fazê-lo. Ora bem, se não entra filosoficamente no debate, só resta a possibilidade de fazer propaganda religiosa ou, então, literatura religiosa. Ainda assim, é saudável que um homem de responsabilidades na filosofia, apareça publicamente para mostrar os seus pontos de vista e argumentos, ainda que, como disse, sejam demasiado fechados ao debate. Pelo menos foi essa a leitura que acabei por fazer.
Obrigado pela visita
Rolando A

Comentar post

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS