Sábado, 22 de Dezembro de 2007

Ciência do dia-a-dia

Imagine-se um livro que explica alguma ciência a partir do nosso dia-a-dia? Surpreendente? Talvez não se pensarmos que toda a nossa vida está impregnada de ciência, mais que não seja, pelos seus resultados, desde o micro ondas até ao leitor de mp3 e o computador onde escrevo este texto. Mas a ciência está ainda mais infectada na vida contemporânea. A ciência é a cultura humana em amplo sentido. Por essa via, conhecer um pouco de ciência é também conhecer mais um pouco a vida humana e o mundo que habitamos.
Rolando Almeida
O que Nuno Crato propõe neste seu mais recente livro é uma viagem que não vai da ciência ao mundo, mas vai do próprio mundo à ciência. Afinal, desde a luz que ligamos quando chegamos a casa, até ao telemóvel, tudo é cultura científica. Mas descanse o leitor. Não pense que se vai tornar cientista só porque tem um telemóvel. Não é disso que se trata. Trata-se, antes, de mostrar o quanto a ciência nos é próxima, mesmo que, por falta de conhecimento, não nos apercebamos de tal. Muitas das explicações dadas por Nuno Crato neste livro fazem-me pensar em Cosmos de Carl Sagan, esse grande mestre da divulgação científica e que não me canso de referir. Passeio aleatório pela ciência do dia-a-dia, é uma colecção – boa q.b. – de crónicas que o autor escreveu para o semanário Expresso e que são aqui melhoradas e compiladas neste volume da Ciência Aberta da Gradiva. É um livro de leitura muito acessível (por vezes é espantoso como somos capazes de compreender alguma coisa de ciência) e que nos desperta a curiosidade porque nos dá um pequeno abanão. E, como dizia Kafka, se “ao lermos um livro se ele não nos abrir a cabeça com um murro, para quê lê-lo?”. Este género de obras dão razão a Kafka: deixam-nos a pensar. E deixam-nos a pensar com o modo mais precioso que temos para compreender o mundo, a ciência. É uma boa prenda de final de ano e um exemplo que deveria ser tomado por outros professores universitários, para deixar a ciência onde ela também deve estar, nas bocas do mundo, no interesse generalizado das pessoas. E na filosofia, não há nenhum investigador capaz de escrever uma coisa assim? Só teríamos todos a ganhar. E muito.
Nuno Crato, Passeio aleatório, pela ciência do dia-a-dia, Gradiva, Ciência Aberta, 2007


publicado por rolandoa às 21:28

link do post | favorito

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS