Domingo, 7 de Outubro de 2007

Uma introdução á lógica filosófica

Recentemente, no fórum de discussão de professores de filosofia do manual, A Arte de Pensar, colocaram-se algumas dúvidas sobre um autor, para muito de nós, difícil de compreender. Falo de Quine. Provavelmente por se tratar de um matemático, como muitos outros filósofos, por vezes somos confrontados com partes da sua obra que nos parecem, à partida, mais impenetráveis. Uma das boas sugestões que entretanto surgiu no fórum veio de Desidério Murcho, um dos moderadores. 
Rolando Almeida 

Defendeu o moderador que o melhor é começar a ler as obras por boas introduções. Não se trata aqui da leitura de comentadores especialistas que quase fazem uma filosofia sobre outra. Trata-se do recurso a obras que nos introduzam aos principais problemas da filosofia, uma espécie de síntese do que os filósofos discutem e as conclusões que daí tiram. Claro está que organizar e escrever uma obra com estas características não é tarefa fácil. Exige-se, pelo menos, um contacto profundo com os filósofos. Por essa razão, este tipo de obras são escritas pelos próprios filósofos. É o caso desta edição de que aqui falo, a tal recomendada por Desidério Murcho que, curiosamente, também já nos prendou em língua portuguesa com obras suas reunindo estas características aqui indicadas. Uma dessas obras é An introduction to philosophical problems, de A. C. Grayling, leitor de filosofia no Birkbeck College, Londres e convidado do St Anne`s College, tendo já publicado extensa obra . Nesta aqui em divulgação, Grayling aborda os principais desenvolvimentos dos problemas ligados à lógica filosófica – as proposições, teorias da verdade, existência, significado e referência, realismo e anti-realismo, entre outros. Uma vez que ainda não li toda a obra, destaco somente o capítulo 2 para aliciar novos leitores. Este capítulo é dedicado ao problema da proposição, dividido por subtemas como: frases e o que elas significam, a relação entre as proposições e o problema da intenção, sentido, referência e opacidade, nominalismo e realismo, entre algumas outras notas. Todos os capítulos da obra são iniciados por uma pequena introdução na qual o autor expõe de forma clara os conceitos e o seu significado, bem como amplitude filosófica. Desta forma o leitor acaba por conviver de uma forma mais acessível directamente com problemas levantados por filósofos como Quine, entre muitos outros. É uma obra extensa mas extremamente clara. O panorama filosófico português teria muito a ganhar com a comercialização da tradução desta como de todas as outras obras de Grayling. Um autor moderno e que concilia as duas condições essenciais à divulgação de um saber, clareza e rigor. Ficámos então à espera que os editores portugueses possam despertar para a obra completa de Grayling.
Entre nós estão publicados dois livros do autor, O significado das coisas, ed. Gradiva e o mais recente, Descartes, Ed. Europa América.
C. Grayling, An Introduction to Philosophical Logic  , (Blackwell) 3rd ed. 1997


 
publicado por rolandoa às 02:46

link do post | favorito

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS