Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Empregabilidade em filosofia

Atendendo a alguns comentários recentes resolvi fazer a reposição do que escrevi acerca da empregabilidade em filosofia. Clicar nos títulos para aceder aos textos:

Empregabilidade em Filosofia

Empregabilidade em filosofia ii

A filosofia  não garante emprego?

publicado por rolandoa às 11:55

link do post | favorito
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Gabarolices

Sem ttulo Hoje foi um dia estranho. Mudei o contador e de repente as visitas ao blog dispararam. Mas comoa  filosofia ensina, uma crença só é conhecimento depois de justificada. Começei a suspeitar se não existiria avaria no contador. Após alguma investigação descobri a causa: o blog foi uma vez mais destacado no portal da Sapo. Obrigado pelo destaque. A filosofia merece.

publicado por rolandoa às 23:46

link do post | favorito

Contador, procura-se?

100000 Talvez poucas pessoas tivessem notado, mas o menino de ouro deste blog foi-se embora sem dizer nada. Desapareceu! O menino de ouro é o contador de visitas. Era o meu orgulho e a minha vaidade. Escrevia cada vez mais para poder alcançar o número redondo de 100.000 visitas. Pouco passava das 98000 quando o contador resolveu desaparecer sem deixar rasto. O que importa nisto nem sequer é a filosofia, mas sim o share (sic). Sem adopções de manuais aí próximas, fica por resolver o problema como me irá ser possível alcançar outra vez as quase 100000 visitas. Aquele contador deu-me indicações interessantes, ainda que não completamente rigorosas. Assim, eu soube que quando comecei o blog tinha cerca de 6 visitas semanais. Com os links a aparecer, desde a Sociedade Portuguesa de Filosofia, Rerum Natura, entre outros, as visitas dispararam para a média das 50 semanais. Mas a surpresa ainda estaria para vir. Numa altura em que já gozava de umas 300 visitas semanais lembro-me de fazer uma análise aos manuais do 10º ano e publicar no blog. Para surpresa minha comecei a ter 400 e até 500 visitas num só dia. A partir daí comecei a tratar a Madona por tu e passeava-me no hall of fame do ensino da filosofia em Portugal. Chegaram a dizer-me que o blog era citado em reuniões de adopção de manuais nas escolas do país e chegou também a ser comentado em algumas apresentações de manuais de várias editoras. Fui elogiado e acusado até que ganhei alguma resistência e experiência. Nas recentes adopções de manuais do 11º, o share voltou à ribalta. Alguns dias as visitas chegaram às 600. As coisas na internet são assim, acontecem rápido. Bem, o facto é que o contador foi à vida e fui forçado a começar de novo as contagens. Acabei de colocar um novo contador de visitas. Coloquei-o ontem à noite e até esta hora (21:00h) registam-se 904 (sim, novecentas e quatro) visitas. Fantástico! O share está excelente. Só me resta mesmo fazer um pedido aos leitores, que constitui um pequeno incentivo para a continuidade do meu trabalho, que os leitores cliquem na publicidade. Basta clicarem para eu ganhar uns dólares no final do ano. A ideia de futuro é criar um site para organizar todos os textos em secções. Até lá, vamos trabalhando na divulgação da filosofia, que é o que mais me interessa.

Rolando Almeida

publicado por rolandoa às 21:22

link do post | favorito

Expliquem-me como se eu fosse muito burrinho

burro Já insisti com esta pergunta, mas ainda ninguém deu uma resposta satisfatória. Hoje quando olho para a primeira página de vários jornais deparo-me com a notícia do sucesso escolar na maior parte das escolas do país com uma taxa elevadissíma. A pergunta é: se os resultados são assim tão bons ainda sem os efitos de um novo Estatuto da Carreira Docente, qual a razão de impor um ECD novo com a desculpa de que está em causa o sucesso educativo? Por outro lado, há ainda a explicar como é que o sucesso apareceu sem qualquer reforma que produzisse resultados? Veio do nada? Até spu professor e topo como as coisas evoluem, mas não é preciso ser professor nem muito inteligente para topar que os resultados aparecem pelo facilitismo imposto nos exames e nas escolas. E o share aparece em força! No meu tempo, os que passavam por favor eram considerados uns aleijadinhos. Culpados? Ministério da Educação e todas as pessoas, pais, professores, cidadão comum, que aceitam esta situação pacificamente.

Nota: com todo o respeito pelo animal que está na foto.

publicado por rolandoa às 09:29

link do post | favorito

Estágio de intervenção sócio cultural - Filosofia

Sem ttulo A Universidade Católica Portuguesa é a primeira universidade portuguesa a incluir no currículo da licenciatura em Filosofia (1º Ciclo) um espaço para Estágio profissional na área da prática filosófica.

A unidade curricular denomina-se de: «Estágio de Intervenção Sócio-Cultural» e corresponde a 5 unidades de crédito, com um tempo global de trabalho de 140 horas por cada semestre. O Supervisor é o professor Carlos Morais.

http://filosofiaestagio.blogspot.com é o blog dos Estágios de Intervenção Sócio-Cultural da Licenciatura em Filosofia da Faculdade de Filosofia de Braga, da UCP. Este espaço tem como principal objectivo facilitar o intercâmbio de ideias, a circulação da informação e a partilha de experiências realizadas no contexto dos Estágios. Procura também proporcionar a discussão e o debate alargados a todas as questões emergentes no âmbito daquelas dinâmicas.
Ainda que primordialmente dirigido aos elementos directamente intervenientes nos processos de Estágio – Estagiários, Supervisores, Instituições Acolhedoras, Faculdade de Filosofia – este blog está aberto a todos os contributos (comentários, ensaios, notícias, referências bibliográficas…) que ajudem a reflectir sobre a Filosofia enquanto dispositivo capaz de intervir nos diversos domínios das actividades humanas, mediante a aplicação de competências específicas.

publicado por rolandoa às 00:53

link do post | favorito
Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

Estudar medicina em Portugal

medicina_394f23a Escrevi sobre este assunto há uns tempos atrás. Deixo aqui os links para os dois textos já que os consiedro ainda pertinentes.

Estudar medicina, monopólio ou Fiat para todos?

e

Médicos em Portugal.

 

Assuntos relacionados:

Mãe, vou ter de mexer em cadáveres?

E se a filosofia gerasse tanto dinheiro como o futebol?

publicado por rolandoa às 09:38

link do post | favorito
Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Introdução à Estética

!cid_E2B403B23D42454685AE5E77064E8192@sofia Acabei de receber esta novidade da Bizâncio na minha caixa de e-mail sobre a edição de George Dickie.

Título: Introdução à Estética

Autor: George Dickie

Colecção: Filosoficamente, 4

___________________________________________________________________________

«Quando ainda era estudante disseram-me que a Estética era a ‘enteada feia’ da Filosofia. Não sei quão exacto e difundido está este preconceito, mas sei que o livro de George Dickie, Introdução à Estética, nos proporciona uma perspectiva concisa, acessível e informativa. É Filosofia verdadeira e genuína teoria estética.»

Sarah Worth, Universidade de Furman

Introdução à Estética traça uma abordagem do percurso da Estética desde os primórdios, passando pelas transformações registadas nos séculos XVIII, XIX e primeira metade do século XX. A primeira metade do livro aborda a história de duas noções da estética — a teoria da beleza e a teoria da arte — e descreve as transformações sofridas desde a Grécia Antiga, até aos anos 50 do século XX. As respostas das teorias culturais das décadas seguintes são depois abordadas. Por fim, são apresentadas cinco teorias tradicionais de avaliação da Arte e o autor apresenta ainda uma outra, pessoal, baseada em princípios de Monroe Beardsley e Nelson Goodman. Escrito por um dos mais destacados filósofos da Arte e da Estética, este livro é também acessível a todos os que se interessam pela Filosofia e pela Arte.

publicado por rolandoa às 21:35

link do post | favorito
Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008

Por que devemos escrever ensaios argumentativos?

1 Recordo um amigo mais velho da minha terra que me descrevia como é que as pessoas passaram a reunir nos cafés da vila para discutir todos os assuntos da vida social e política após o 25 de Abril. Com a democracia veio a liberdade de expressão das ideias e a necessidade de melhorar as técnicas da argumentação. Inexplicavelmente os cursos de licenciatura em filosofia portugueses passaram ao lado desta realidade, permanecendo no seu sono elitista, razão pela qual a generalidade das pessoas perdeu interesse e respeito pela influência que a filosofia possa vir a ter nas suas vidas.

Rolando Almeida

Ver mais... )
publicado por rolandoa às 23:45

link do post | favorito
Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008

Raciocinar ou manipular?

820072096_2c0db6dde6 Um argumento é dedutivamente válido quando é impossível inferir da verdade das premissas a falsidade da conclusão. Acontece que podemos ter argumentos válidos com premissas falsas e conclusão falsa. A validade dedutiva diz respeito à forma do argumento e não ao seu conteúdo. Assim, se eu tiver o argumento:

 

Todos os ovos estrelados são toupeiras

A cadeira é ovo estrelado

Logo o cadeira é toupeira

Este argumento é bizarro, mas é dedutivamente válido. Como é que o sabemos? Se olharmos para a forma lógica do argumento. A forma lógica é:

Todos os A são B

C é A

Logo, C é B

Se olharmos bem para a forma do argumento a verdade das premissas garante a verdade da conclusão independentemente do que está no lugar das letras A, B e C. Mas existe uma diferença substancial entre os dois seguintes argumentos:

A:

Todos os ovos estrelados são toupeiras

A cadeira é ovo estrelado

Logo o cadeira é toupeira

B:

Todos os futebolistas são atletas

Ronaldo é futebolista

Logo, Ronaldo é atleta

Ambos os argumentos, A e B, tem a mesma forma lógica, pelo que ambos são válidos. Só que o argumento A tem premissas e conclusão falsas, ao passo que o argumento B tem premissas e conclusão verdadeiras. Como se estabelece esta diferença ou para que é que ela serve? Isto exige que respondamos à questão, para que serve argumentar? Argumentamos porque estamos interessados na verdade e porque queremos resolver problemas tentando chegar à verdade. Mas como é que chegamos à verdade com argumentos como o A? Resposta: não chegamos. A validade é uma condição necessária para um argumento ser um bom argumento, mas não é uma condição suficiente. É preciso que os argumentos persuadam racionalmente e não nos deixamos persuadir com falsidades. Um argumento válido em que todas as proposições nele envolvidas são verdadeiras chamamos argumento sólido. Será a solidez uma condição necessária para um argumento ser bom? Sim. E será suficiente? Depende do auditório. Podemos ter muitos argumentos sólidos que, ainda assim, não convencem. É necessário também que os argumentos sejam cogentes, isto é, que convençam racionalmente. Claro que em princípio um argumento sólido deve convencer, mas nem sempre é assim. Se assim é podemos sempre levantar uma questão: para quê tanta preocupação com a validade se um argumento pode ser válido, sólido e ainda assim não servir para grande coisa? Mais valia tentar convencer as pessoas de uma forma mais simples, sem estas complicações com a dedução. As coisas não são assim porque existe uma distinção fundamental entre persuasão racional e manipulação. Quando falamos de persuasão racional falamos de um interesse genuíno na verdade, ao passo que a manipulação se distingue da persuasão racional precisamente porque o interesse não é a verdade, mas um conjunto de interesses particulares que se considera a verdade. E se estamos realmente interessados na verdade, como acontece na filosofia, temos de nos preocupar com as nossas deduções.

Rolando Almeida

publicado por rolandoa às 21:30

link do post | favorito
Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

Filosofia 11 – sínteses esquemáticas

Sem título A Texto Editora acaba de lançar uma colecção para ajudar os estudantes a orientar o estudo. Um dos volumes da colecção é dos autores do manual Pensar Azul. Apresenta esquemas sínteses e explicações sumárias dos principais conteúdos. O livro é vendido a um preço baixo. Clicar na imagem para aceder.

publicado por rolandoa às 23:40

link do post | favorito
Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

Filosofia na web - Logosfera

Sem título O Logosfera é mais um interessante blog de filosofia da responsabilidade dos professores Carlos Marques e Helena Serrão, da Escola Secundária Luís de Freitas Branco. Entre outros textos, no Logosfera os estudantes encontram muitos e preciosos materiais de apoio. Gradualmente estas iniciativas vão alterando, para melhor, o panorama do ensino da filosofia, ao mesmo tempo que é interessante notar a iniciativa destes professores e a vontade na divulgação da sua disciplina. Os autores estão de parabéns e o exemplo é para seguir. Não deixa de ser interessante também notar que são os professores de filosofia no ensino secundário que mais investem na tão necessária divulgação da filosofia. Clicar na imagem para aceder ao blog.

publicado por rolandoa às 16:52

link do post | favorito
Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

Filosofia na web – Dúvida Metódica

Sem título Descobri o blog Dúvida Metódica (clicar na imagem para linkar) a partir de um comentário de um leitor. Trata-se de mais um blog de apoio aos estudantes, neste caso, da Escola Secundária de Pinheiro e Rosa, em Faro. Vale a pena espreitar e seguir o exemplo. O blog é da responsabilidade dos professores Carlos Pires e Sara Raposo.

publicado por rolandoa às 23:37

link do post | favorito

Negar condicionais

 1-Seta Em conversa com um colega de filosofia, este deu-me um exemplo muito intuitivo para compreender a negação da condicional. Se alguém me disser “se eu for à Madeira, vou visitar o Rolando”. Para negar esta frase a forma correcta não é “Se eu não for à Madeira, não vou visitar o Rolando”. A negação de uma frase tem de alterar o valor de verdade da frase de partida. Assim se a frase que se quer negar for verdadeira, a sua negação terá de ser falsa e vice versa. Deste modo, se “se eu for à Madeira, vou visitar o Rolando” for verdadeira, negando-a como “se eu não for à Madeira, não vou visitar o Rolando” continua à mesma verdadeira, de modo que esta não é a forma da sua negação. Então como negar? Basta pensar que se “se eu for à Madeira, vou visitar o Rolando” for verdade, em que condições é que se é mentiroso? Se se for à Madeira, mas não se tiver ido visitar o Rolando, pelo que a negação correcta é, “Eu fui à Madeira, mas não fui visitar o Rolando”. Se for verdade que o protagonista da frase de origem veio à Madeira, mas não me veio visitar, negou a frase de origem tornando-a falsa e verdadeira a frase de chegada.

publicado por rolandoa às 00:30

link do post | favorito
Sábado, 4 de Outubro de 2008

A mania dos manuais

9780415458214 Posso ser acusado de ter a mania dos manuais. Falo muito deles, é verdade. Mas a realidade é que a minha profissão assim o exige. Para quem gosta de ensinar, os manuais podem ocupar uma boa parte do tempo de planificação de aulas. De um lado o manual, do outro o programa da disciplina, em cima, a planificação de escola e ainda um espaço para um caderno ou PC para tirar notas, organizar esquemas, enfim, para todo o trabalho que implica pensar uma aula. É no percurso destas tarefas que nos damos conta dos bons e dos maus manuais. Há pouco estava a ver o powerpoint que resume a comunicação de Tomás Carneiro sobre o curso de pensamento crítico para jovens no encontro nacional de professores de filosofia deste ano e deparei-me com referências ao livro de Alec Fisher, critical thinking. Gosto especialmente deste livro e não me importaria nada de adoptar como manual. De repente ocorre-me a ideia de tentar descobrir qual a razão que faz com traduzamos quase tudo o que queremos estudar, mas não o fazemos com manuais escolares?

Rolando Almeida

Ver mais... )
publicado por rolandoa às 01:47

link do post | favorito
Quarta-feira, 1 de Outubro de 2008

Centro Diálogos, Filosofia para Crianças

Sem ttulo Sem ttulo2

O centro Diálogos apresenta o 3º Workshop , Filosofia Prática /Consultoria Filosófica

Prof. Dr. OSCAR BRENIFIER 14, 15 e 16 de Novembro de 2008

Deixo uma imagem da ficha de inscrição que pode ser usada para inscrições a enviar para o Centro. Endereço: CLICAR AQUI

publicado por rolandoa às 23:11

link do post | favorito

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS