Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Manuais – Espaço para debate

Este texto é dirigido a todos os colegas, professores de filosofia no ensino secundário. Trata-se de um apelo. A crítica pública de manuais escolares é essencial e um dos melhores caminhos para melhorar a qualidade dos manuais e, por conseguinte, das nossas aulas e opções lectivas. Disponibilizo este blog como espaço aberto à crítica de manuais, visto que muitos colegas tem ideias a explorar, mas sem local próprio para as publicar. Disponibilizo dois contactos de e-mail para os quais podem ser enviados os vossos textos a fim de ser publicados. Como é óbvio, não publicarei textos anónimos nem insultuosos. A ideia é de uma forma pedagógica apontar erros, dificuldades, limitações, etc… e também os pontos positivos ou as vantagens que existe em optar pelo manual X e não pelo Y. É indiferente se vamos defender uma linha mais hermenêutica ou uma linha mais analítica, ou outra coisa qualquer. O espaço está aberto ao debate. Só espero mesmo pela reacção. Pela minha parte vou fazer o meu trabalho de casa. No final indicarei o número de professores que resolveram dar-se ao trabalho de fazer crítica de manuais, seja esse número de 1000 ou 0. É claro que nos referimos aos manuais de filosofia, referentes ao 11º ano que estarão em breve disponíveis para adopção.
Mãos à obra.
Contactos:
rolandotavaresalmeida@gmail.com
rolandoa@netmadeira.com
 
Rolando Almeida
publicado por rolandoa às 15:23

link do post | favorito
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

O problema Trólei

Tem surgido várias questões para esclarecer o problema Trólei na filosofia. Há imensos recursos de leitura sobre este problema. Creio que, em língua portuguesa, Pedro Galvão simplifica-nos a tarefa na introdução que fez à revista on line Trólei. Aqui fica
«Bom, imagine que está a conduzir um trólei. De repente, depara-se com cinco trabalhadores na linha e tenta travar, mas nesse preciso instante descobre que os travões deixaram de funcionar. Apercebe-se imediatamente de que os trabalhadores não podem fugir e serão todos mortalmente atropelados. Mas há uma (e apenas uma!) hipótese de evitar a sua morte: basta desviar o veículo para outra linha. Só que nessa linha está um outro trabalhador precisamente nas mesmas circunstâncias... Ainda assim, será eticamente permissível desviar o veículo? Consta que as «intuições morais» (é este o termo técnico para os nossos palpites infundados em questões éticas) da maior parte das pessoas se traduzem num sim — nessas circunstâncias é permissível desviar o veículo e talvez até seja obrigatório desviá-lo. Mas mudemos de cenário. Imagine agora que é um cirurgião confrontado com cinco pacientes que morrerão muito em breve se não receberem um transplante. Não é possível obter a tempo os órgãos necessários de um doador já morto, mas há no hospital um paciente a recuperar de uma operação que, se for morto com uma injecção, proporcionará todos esses órgãos. Será eticamente aceitável injectar secretamente a substância letal no paciente? Não, é o que nos dizem agora as nossas intuições, e assim surge o problema do trólei: dado que em ambos os cenários coloca-se a hipótese de salvar cinco pessoas matando uma, por que razão só no cenário do trólei essa hipótese se nos afigura aceitável? É este o problema. Se investigar, descobrirá que não é fácil resolvê-lo. E descobrirá também o que faz do problema do trólei um símbolo da imaginação conceptual e da criatividade argumentativa que encontramos na melhor ética filosófica — um símbolo daquilo que esta revista procurará promover.»
Introdução de Pedro Galvão à Revista Trólei
publicado por rolandoa às 12:28

link do post | favorito
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Manuais 2008? Venham eles!!!

Brevemente começam a chegar manuais novos para o 11º ano. Os argumentos das editoras, por regra, assentam em dois ou três pontos principais:
- Rigor científico;
- Adequação ao programa;
- Adereços como cd roms, cadernos de actividades, etc….
As editoras comercializam os manuais e até aí nada a dizer. Por regra são muito atenciosas com os professores e preparam todo o trabalho tal qual os professores indicam. Mas existe todo um comércio megalómano em torno dos manuais. E existe porque a sua venda dá dinheiro. E ainda bem! Pelo menos para mim é sempre bom saber que fazer um manual até dá alguns rendimentos, ainda que poucos, aos autores e editores. É um incentivo bom.
Rolando Almeida
publicado por rolandoa às 00:02

link do post | favorito
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Acção de Formação - Filosofia com Crianças

Vale a pena investir no pensamento crítico desde cedo. Nada melhor para esse efeito que frequentar as acções de formação que aqui tenho divulgado.

 

 



publicado por rolandoa às 19:33

link do post | favorito
Domingo, 24 de Fevereiro de 2008

O livre arbítrio visto por alunos do 10º ano

As alunas Irina Neves e Sara Guerreiro, da turma 10º C, da Escola Secundária D. João II, em Setúbal, fizeram estes trabalhos que o seu professor de filosofia, O professor João Paulo Maia, teve a amabilidade de enviar para publicação. Os trabalhos são, O problema do livre arbítrio e Será o livre arbítrio uma ilusão.

O problema do livre arbítrio
Colocar o problema do livre-arbítrio é colocar um dos problemas centrais da Filosofia da Acção que pode ser formulado deste modo simples: temos ou não livre-arbítrio?
Por não concordar com a tese de que o livre-arbítrio seja uma ilusão, vou argumentar a favor da tese inversa – a de que temos livre-arbítrio.
Pressupor que o livre-arbítrio é uma ilusão leva-nos a pressupor que o determinismo radical é verdadeiro, o que por sua vez nos leva à chamada objecção fenomenológica ao determinismo radical. Esta objecção constitui uma forte evidência racional contra aquela teoria filosófica.

publicado por rolandoa às 23:54

link do post | favorito

Filosofia na web V

Desta vez aproveito para divulgar o Qualia, um blog da responsabilidade de Vitor João Oliveira, professor na Escola Secundária de Oliveira do Bairro e que disponibiliza textos muito úteis para alunos e professores.

Visitar AQUI ou clicar na imagem.

publicado por rolandoa às 17:35

link do post | favorito
Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

Texto no De Rerum Natura

Para quem não apanhou, fica aqui o link de um texto meu publicado no De Rerum Natura. Basta clicar AQUI.

publicado por rolandoa às 15:43

link do post | favorito
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Serrotes ao ar - estratégias para perder o emprego

Um dos aspectos curiosos no ensino universitário português, nos cursos de engenharia, consiste em pensar que o pensamento crítico é actividade dos professores de matemática. Ora, isso seria o mesmo que pensar que a carpintaria é actividade para os fabricantes de serrotes. Esta realidade é da responsabilidade dos Directores de Curso, mas também da dos Directores dos cursos de filosofia que não sabem reclamar para si aquilo que é de direito seu, enquanto domínio de um conhecimento.
publicado por rolandoa às 22:59

link do post | favorito
Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Bruce Lee e Bill Clinton - o que têm em comum?

 
Eis uma lista de famosos que estudaram filosofia. A lista apanhei-a no blog de Nigel Warburton, Virtual Philosopher.

 
publicado por rolandoa às 21:07

link do post | favorito

A vida é bela

Em carta sobre a felicidade, podemos percorrer a veia filosófica de Epicuro. Mais tarde, a cultura cristã haveria de voltar o epicurismo a uma filosofia de menos valor. A edição é algo confusa, com uma introdução sofrível e uma lista de pensamentos e citações sem qualquer ordem. Provavelmente foi feita com boa vontade, mas faltaria um estudo mais apurado. Pena é que esta tradução seja feita a partir do francês. Merecíamos uma tradução directa. Mas enfim, lá nos contentaremos com esta. Fica a citação e a recomendação.
“Convém, portanto, avaliar todos os prazeres e sofrimentos de acordo com o critério dos benefícios e dos danos.” (p.34)
Epicuro, Carta sobre a felicidade ou a conduta humana para a saúde do espírito, Padrões Culturais Editora, 2008
publicado por rolandoa às 20:29

link do post | favorito
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

Sobre a divulgação da filosofia

Uma das questões que inquieta muitas das vezes os profissionais da filosofia prende-se com a divulgação da filosofia. O recente encerramento da licenciatura de filosofia na Universidade de Évora suscitou algum debate sobre o porquê do insucesso do curso. Neste texto vou, uma vez mais, defender que a filosofia merece e deve ser divulgada, não só no ensino secundário como ao público em geral. E defenderei que esta divulgação é essencial para erguer toda uma cultura filosófica e que, sem ela, ficaremos todos mais afastados da reflexão filosófica ignorando a sua importância no mundo.
Rolando Almeida
publicado por rolandoa às 17:58

link do post | favorito
Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

Será a ética relativa? Não há verdades morais objectivas e absolutas? PARTE I

Este capítulo que aqui apresento pertence ao manual de filosofia Filosofia 10, Plátano Ed, 2007 de Luís Rodrigues. Agradeço ao autor a autorização para publicação.

 

Será a ética relativa? Não há verdades morais objectivas e absolutas?
 
Segundo a antropóloga Ruth Benedict, sempre que morria um membro da tribo Kwakiutl, do noroeste americano, os familiares enlutados saíam em busca de membros de outras tribos para os matar. Para eles, a morte era uma afronta que devia ser vingada pela morte de outra pessoa. Assim, quando a irmã do chefe da tribo morreu, este matou sete homens e duas crianças de outra tribo que nada tinham a ver com o acontecimento.
Se eu ou você tivéssemos feito tais coisas seríamos considerados assassinos. Matar pessoas inocentes como o fez o chefe dos Kwakiutl é contrário às nossas leis e ao nosso código moral. Contudo, a sua acção não foi contrária às leis ou ao código moral da sua cultura. Segundo os padrões morais da sua sociedade, o que fez é aceitável, porventura obrigatório. Que código moral é correcto? O da cultura a que tu e eu pertencemos ou o código moral da referida tribo? O chefe da tribo Kwakiutl agiu erradamente ao assassinar nove pessoas inocentes por a sua irmã ter morrido?
 
 
 
publicado por rolandoa às 18:57

link do post | favorito

Será a ética relativa? Não há verdades morais objectivas e absolutas? PARTE II

CONTINUAÇÃO
 
publicado por rolandoa às 18:50

link do post | favorito
Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

Admirem-se

A par com outras notícias que tem chegado de outros países, vale a pena confrontar as realidades. Enquanto fechamos cursos de filosofia, aqui mesmo ao lado acontece isto:

Um total de 37 empresas privadas ofereceram 66 lugares nos seus quadros destinados a estudantes da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Córdoba para os anos de 2008-2010. Considerando a versatilidade do curso de Filosofia, estas empresas ofereceram vagas nas mais diferentes áreas: tradução, edição de livros, comercialização internacional de azeite, museus, arquivos, galerias de arte, entre outros.

Fonte: Telegrapho de Hermes

publicado por rolandoa às 12:06

link do post | favorito
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

Fecham cursos de Física, Matemática e Filosofia - em Évora

O Reitor da Universidade de Évora anunciou hoje que vai encerrar alguns cursos dando 3 encerramentos como certos: Matemática, Filosofia e Física. O argumento mais usual é o de que estes cursos não garantem empregos aos futuros licenciados. Esta verdade é apenas parcial na medida em que estes cursos estão às moscas porque o sistema de ensino português não consegue despertar interesse nos alunos por estas áreas, fazendo-os pensar que estes cursos não possuem mercado. Conviria dizer aqui que um sistema de ensino bem organizado garantiria, mesmo num país como o nosso, muitos mais empregos com estes cursos.
Rolando Almeida
publicado por rolandoa às 21:00

link do post | favorito

Laxismo em educação: efeitos perniciosos.

 Vamos imaginar que somos galinhas numa capoeira. A psicologia animal indica-nos que o nosso bico possui um objectivo: como é aguçado, permite-nos encontrar o milho (ou minhocas) entre a palha do chão para nos alimentarmos. Vamos agora supor que, estando nós num aviário, o nosso criador nos coloca alimento em abundância em recipientes. Sempre que desejamos alimento é aí que nos dirigimos sem qualquer esforço. Encontrando alimento tão facilmente, ficamos com tempo de sobra para nos dedicar a outros objectivos. Acontece que as galinhas não são como os seres humanos e não são capazes de estabelecer outros objectivos para as suas vidas, senão aqueles para os quais estão instintivamente programadas.

Rolando Almeida



publicado por rolandoa às 00:05

link do post | favorito
Domingo, 10 de Fevereiro de 2008

Moralidade dos animais não humanos

Uma vez que tanto os seres humanos como os não humanos podem sofrer, temos iguais razões para não maltratar qualquer deles. Se um ser humano é torturado, porque razão é isso errado? Porque ele sofre. Por analogia, se um ser não humano é torturado, também sofre, e por isso é igualmente errado e pela mesma razão. Para Bentham e Mill, esta linha de raciocínio era decisiva. Humanos e não humanos têm igual direito à consideração moral.
     No entanto, esta perspectiva pode parecer tão extrema, na direcção oposta, como a perspectiva tradicional que não concede aos animais qualquer lugar independente no plano da moralidade.
James Rachels
publicado por rolandoa às 14:16

link do post | favorito
Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008

Quem é mais profundo? Peter Singer ou os Modern Talking?

Muito se tem discutido aqui sobre que rumo a filosofia deve tomar, se analítica, continental, mais azulada ou avermelhada, se deve ser feita no Outono ou Verão, com limonadas ou cerejas. Mas, o que aqui tenho defendido, nada tem que ver com isto. Que interessa se a filosofia é feita com limonadas ou com cerejas, desde que a investigação seja de qualidade e proveito filosófico para todos? Claro está que há pontos em que talvez não valha mais a pena insistir, dado o esgotamento da questão. Pelo menos sabemos que somos finitos e limitados e não podemos perder tempo a estudar aquilo que jamais poderemos saber ou apreender racionalmente. Essa é a tentação da religião, mas não da filosofia. Em filosofia, como em todos os ramos do saber, dá-se um pequeno passo de cada vez, lentamente, progredindo pouco a pouco no conhecimento. E esta condição basta e satisfaz completamente aquele que investiga em filosofia.
Rolando Almeida
publicado por rolandoa às 00:02

link do post | favorito
Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008

Um dia seremos todos ateus?

Para concluir o círculo dos livros “bright” (designação de Daniel C. Dennett para ateus), eis que é publicado em língua portuguesa, pela Esfera do Caos, Breaking the Spell, que, na nossa língua leva o título de Quebrar o Feitiço, a religião como fenómeno natural. De salientar as técnicas modernas de edição que são muito bem exploradas por estas novas editoras. O livro é um pequeno luxo para se ter nas mãos. Parabéns ao editor. Na edição portuguesa o livro é apresentado como um Best Seller do New York Times. Já tenho aqui referido que livros de filosofia são grandes campeões de vendas em língua inglesa, não porque as pessoas não tenham mais nada para fazer, mas mais porque os filósofos oferecem às pessoas obras plausíveis sobre os problemas que mais tropeçamos quando queremos compreender o mundo que habitamos. Assim, muitas obras de filosofia acabam por ser mediáticas, lançando a discussão pública. Por essa razão também é habitual ver os filósofos participarem nos debates públicos sobre religião, arte, ética, bioética, etc… ao mesmo tempo que se dedicam à investigação pura e dura, com resultados evidentes. Ainda não tive a oportunidade de ler esta obra. Estava mesmo à espera da tradução portuguesa. O debate está aceso. Temos aí as obras traduzidas. Só nos falta lê-las e, mais importante ainda, discuti-las.
Daniel Dennett, Quebrar o feitiço, a religião como fenómeno natural, Esfera do Caos, 2008, Tradução de Ana Saldanha
publicado por rolandoa às 22:26

link do post | favorito
Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008

Escritos sobre uma vida ética

Tenho ouvido dizer, mesmo em alguns comentários neste blog, que Peter Singer não é um filósofo profundo. Este preconceito merece ser desmistificado com as leituras dos livros do filósofo que, entretanto, vamos traduzindo. E, enquanto o preconceito impera, mesmo vindo de muita gente da filosofia, o que é de estranhar nos tempos que correm, Singer dedica-se a organizar os melhores compêndios de ética da filosofia contemporânea e a contribuir decisivamente para mudar o rumo da reflexão filosófica, principalmente no ramo da ética aplicada, ao mesmo tempo que dá conferências em todas as universidades do mundo e publica dos melhores livros de ética que a contemporaneidade nos pode oferecer.
Peter Singer, escritos sobre uma vida ética, Dom Quixote, 2008
                                          
publicado por rolandoa às 01:54

link do post | favorito

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS