Quarta-feira, 17 de Junho de 2009

Administrativos do ensino

burocracia Segundo apanhei na internet, um relatório da OCDE conclui:

“Portugal é dos países onde os professores gastam mais tempo a manter a ordem na sala de aula e em tarefas administrativas e menos tempo a ensinar.”

(…) E a estudar, acrescento eu. Os professores fazem basicamente o que a tutela manda fazer. Esta é efectivamente a realidade que observo todos os dias. A maior parte do tempo dos professores nas escolas é passado a discutir e a tratar assuntos de ordem burocrática. Observar um grupo de professores a discutir activamente e com propriedade matérias de ensino, ideias, teorias, argumentos, é puro delírio. É tarefa de quem não tem mais nada para fazer. E isto é inteiramente verdade, os professores pura e simplesmente tem cada vez menos tempo para fazer a única coisa que lhes deve ser exigida: estudar e prepararem-se cada vez melhor. Estudar não é valorizado pelas políticas educativas, em especial a do último governo que tem sabido aprofundar esta realidade. Para que o professor estude menos (e os alunos também) e garantam ao mesmo tempo o sucesso educativo, há que: 1) acabar com os exames de disciplinas menos vistosas (como física ou filosofia) 2) tornar os exames o mais fáceis possível ( e não os programas o mais rigorosos possível – é que isto dá trabalho). Talvez se a humanidade fosse mais justa teríamos 100 mil professores na rua a protestar por mais tempo para estudarem e serem melhores professores tal como os tivemos a reclamar melhores condições profissionais. Se fosse exigido aos professores mais estudo, talvez tivéssemos um ensino baseado em conteúdos sólidos e talvez esse ensino mais entusiasmante captasse uma franja importante de alunos que se estão nas tintas para a escolês do eduquês. Talvez um dia tivéssemos melhores cientistas, médicos, professores, melhor economia e indústria, capacidade inventiva, etc. E tudo isto com um gesto tão simples: mandar os professores para casa estudar, que é a única coisa que deviam fazer para além das aulas, mas que é a única coisa que cada vez é menos exigida. E uma escola que não exige aos seus professores que estudem, é uma escola que não vai ter alunos interessados em estudar. A ideia não é ser dramático com este post, mas parece que a realidade caminha a bons passos para um ensino onde o saber, o conhecimento, a ciência, são confundidos com o saber fazer. É confundir a causa com a consequência. Na verdade defendo que nada se sabe fazer, se não se sabe pensar pela própria cabeça, se não temos produção filosófica, científica e artística.

Hoje ao final do exame de português do 12º ano os alunos na escola onde ensino diziam-me que o exame tinha sido fácil. O problema é que esta facilidade não é resultado do esforço e do estudo, mas em grande parte (mais que a desejável) é resultado do facilitismo. Ou estarei a ver mal as coisas?

publicado por rolandoa às 00:37

link do post | favorito
4 comentários:
De Miguel Portugal a 17 de Junho de 2009 às 12:15
Não, não está a ver mal as coisas, caro colega Rolando. Trata-se de uma análise da paupérrima situação educativa, em termos políticos e profissionais, com a qual estou inteiramente de acordo.

Tocou em duas coisas essenciais: 1. falta-nos melhores professores, mais sábios, mais dedicados e com mais profissionalismo; 2. falta-nos um poder político suficientemente esclarecido e lúcido e com verdadeira vontade de valorizar a educação, o saber, o rigor e a disciplina, e, a fortiori, valorizar os bons professores e os bons alunos... Isto não necessariamente com o intuito principal de criar elites (que em si, não são, bem pelo contrário, um mal), mas para que todos os outros desejem tentar seguir-lhes o exemplo! Ao tentarem, sairão melhor. Penso que é a mensagem a passar, pelo menos é a que tento, apesar de tudo (e tantas coisas em contrário!), incutir nos meus alunos.

(Muito boa síntese do status quo educacional em Portugal. Melhor interpretação do estudo da OCDE!)

Abraço
De rolandoa a 17 de Junho de 2009 às 12:53
Miguel,
Agora lembrei-me duma frase de Eça: "para se ser bom professor há que cumprir uma formalidadezinha: saber"
Na verdade penso que temos boas condições para exigir mais e melhor. Este governo tem exagerado e muito no desprezo de um ensino com mais qualidade. Mas nós, professores, também temos a obrigação de fazer impor o nosso conhecimento, saber e satisfazer as necessidades do mesmo.
De António Daniel a 20 de Junho de 2009 às 22:09
Rolando, de uma forma geral concordo com as suas ideias. Mas também devo dizer-lhe que em virtude da minha situação percorri muitas escolas. Constatei haver pessoas interessantes, intelectualmente evoluídas, com formação que revela interesse pelo saber. Encontrei pessoas competentes, o problema é o desprezo que a sociedade tem pelo saber. É óbvio que um professor deve despertar o aluno, essa é a função do mestre. Mas esse despertar pressupõe uma predisposição do aluno, isso não é um dado adquirido, e um diálogo onde o poder esteja presente, e este não é reconhecido facilmente. Sei que o saber é poder e o exercício deste exige aquele, mas também sabemos que as contrariedades são muitas, a começar pelo grande educador que é a televisão. Imagine que, tal como o Rolando diz, se fizesse uma manif para se estudar mais, qual seria a reacção da opinião pública? Haveria muito mais para dizer, acima de tudo muito mais para reflectir. Porém estes elementos do poder executivo conseguiram anular o pensamento.
De rolandoa a 20 de Junho de 2009 às 22:34
Caro António,
é claro que exagerei um pouco ao pressupor que se faria uma manif para se estudar mais. Em relação aos professores, eu também tenho uma experiência semelhante à do António, com 5 anos em 4 escolas diferentes no continente, mais duas na ilha da Madeira onde actualmente resido e faço praça. E é verdade que acabei por me cruzar com muitos colegas com um trabalho de muito valor e muito dedicados. O que eu quis alertar no meu post é que o problema é que esses professores são o que são por mérito próprio, sem qualquer política que os incentive a tal. Bem e também temos os casos de excelência. Acontece que a excelência não está ao alcance de todos. E os outros? Os que não são excelentes? que incentivos há para que estudem e se tornem melhores professores, se aproximem dos excelentes quando estão a trabalhar para um sistema que somente os empurra para tarefas burocráticas? Ainda na sexta feira um colega me mostrava o livro do Rachels que acabou de sair na Gradiva, ao mesmo tempo que me questionava: mas como vou ter tempo para ler este livro se tenho dois filhos pequenos em casa e tanto que fazer? É por esta razão que para o professor estudar tem de lhe ser dadas condições, para poder estudar e ter uma vida ao mesmo tempo, como é claro.
abraço

Comentar post

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS