Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

O verão é propício a revistas

Digitalizar0001 Digitalizar0002

Continuando com a ideia tola de que no verão ficamos todos um bocado estúpidos, seguem mais duas recomendações para levar para a praia ou simplesmente para a esplanada mais próxima. Uma delas chegou-me à caixa de correio uma vez que sou assinante. A outra encontrei-a num quiosque da cidade, apesar de já conhecer o site da revista. São elas a Philosophy Now, nº 68, de Julho e Agosto de 2008 e a outra a brasileira Filosofia, nº 15, ano II, 2007 (será que chega cá com um ano de atraso???). Como uma revista tem de ser apelativa, um breve comentário para o aspecto gráfico: a Filosofia bate com facilidade a Philosophy Now. Tem uma qualidade gráfica que recorre às mais modernas técnicas e quase nem percebemos no quiosque que se trata de uma revista de filosofia, não fosse a palavra estampada no topo. Em termos de qualidade dos textos já não me parece que a Filosofia consiga estar ao mesmo nível que a Philosophy Now muito embora não ande muito distante. Já sabemos que o meio académico inglês é mais rico que o brasileiro pelo que se justifica aí alguma disparidade, mas se a philosophy now tem alguns artigos de fundo de maior exploração, é ainda assim uma revista de divulgação e, nesse sentido, creio que a Filosofia acaba a ganhar alguns pontos.

Rolando Almeida

Digitalizar0004 E isto porquê? A Filosofia é notavelmente uma revista destinada a um público alargado, é claramente o trazer a filosofia ao comum das pessoas. Tal como há revistas de divulgação científica ou de artigos de apelo à ciência, esse é o caminho seguido pela Filosofia, o que me agrada q.b. Logo na capa, os artigos anunciados são os seguintes: “Corrupção, problema pode estar associado à cultura da impunidade e à falta de educação”; “Opressão do tempo: pensadores comentam a angústia de correr contra o relógio, fenómeno da modernidade”; “David Hume: Estilista, evento relaciona filósofo escocês e a moda” e o artigo de capa sobre a concepção de homem mau de Hegel. A revista tem ainda um interessante e longo artigo sobre Averróis. De leitura muito acessível, graficamente muito bem arranjada, esta é uma boa lição de como a filosofia vende quando é exposta de modo plausível. A filosofia, mais que qualquer outro saber, tem todas as razões e potencialidades para se apresentar desta forma às pessoas uma vez que boa parte dos problemas filosóficos são motivo de discussão diária. Claro está que não pude deixar de notar casos pontuais de contaminação pós moderna na revista, mas isso nem sequer é importante dado que o grosso dos artigos são acessíveis e interessantes para o leitor comum. Para complemento a revista inclui ainda um caderno pequeno temático destinado ao ensino, muito útil para o ensino secundário. A philosophy now é uma revista mais experiente e mais curta (54 páginas contra as 83 da Filosofia). A grande vantagem da Philosophy Now é que aparece num mercado muito mais sofisticado em termos filosóficos, o que lhe confere maior consistência. Mas é também uma revista a pensar no público generalizado, pelo que a sua leitura é acessível. Este número contempla um grande destaque a Freud e a Filosofia. Freud é um dos autores da moda popular e a verdade é que estamos um pouco fartos da psicanálise e de Freud. Muito mais interessante, do meu ponto de vista, é a primeira parte da pequena autobiografia de Daniel C. Dennett.

Em termos comerciais a revista brasileira pertence a um grupo que publica uma série de outras revistas de outras áreas.

Ambas as revistas incluem as habituais secções de livros, filmes e dúvidas e questões dos leitores. Ambas são da responsabilidade de doutorados das universidades. Nós por cá, vamos publicando coisas para umbigo de académico.

publicado por rolandoa às 17:17

link do post | favorito
7 comentários:
De anonimo a 4 de Agosto de 2008 às 21:14
estamos fartos de freud? Fale por si. Não generalize as suas ideias...
De rolandoa a 4 de Agosto de 2008 às 21:23
Ó anónimo,
então não percebeu que estamos fartos de freud porque qualquer publicação fala exactamente as mesmas coisas do autor? Explodiu logo e leva com uma psicofoda do catano. É que não me referi, sequer, às teorias de Freud, mas à exposição mediática que tem sido alvo. Além do mais, vamos supor que o Anónimo não está farto de Freud e então acha que não se deve dizer que se está farto de freud somente porque o Sr Anónimo não está farto de freud. Não corresponde isso a uma generalização sua?
De anonimo a 4 de Agosto de 2008 às 21:52
nao. nao generalizei nada. apenas lhe pedi para nao generalizar. este blog é de uma so pessoa não é?
De anonimo a 4 de Agosto de 2008 às 21:21
interessante é achar que uma biografia é mais interessante do que um texto sobre a filosofia de...
É o fait-diver a entrar no espaço filosofico, irrito-me por ligarem mais a culto de personalidad ede filosofos do que a filosofia propriamente ditas
De rolandoa a 4 de Agosto de 2008 às 23:10
Caro leitor,
Antes de tudo saúdo Lisboa, o local de onde me está a escrever.
Bem, vejo que desconhece o meu trabalho. Se o conhecesse saberia que a sua afirmação é falsa, mas é livre de dar os palpites que quiser.
De todo o modo pergunto-lhe: o que esperar de uma revista de divulgação? Um estudo altamente sofisticado de filosofia? De todo o modo o anónimo ainda comete mais uma falha: é que, em filosofia, temos muitas e boas biografias que são excelentes obras de filosofia. Quer dois exemplos muito recentes? Como se faz um filósofo de Colin McGinn e Descartes de A. C. Grayling. Ambos estão traduzidos em portugues e para ambos fiz recensões publicadas em vários lugares.
Se queiser que eu continue a responder-lhe, com todo o agrado, agradeço que assine o seu nome para eu saber com quem falo.
Obrigado e abraço
De Joana Sousa a 5 de Agosto de 2008 às 18:37
Oi Rolando!
Era essa revista brasileira, Filosofia, de que lhe falava há uns tempos largos.
Deixei de a encontrar nos locais habituais!

Boas férias!
De rolandoa a 5 de Agosto de 2008 às 19:11
Olá Joana,
Encontrei a revista por acaso. Quando cheguei a casa verifiquei que se trata de um número de 2007. É pena que a revista não chegue cá a tempo e assiduamente.
abraço

Comentar post

Rolando Almeida


pesquisar

 
Blog de divulgação da filosofia e do seu ensino no sistema de ensino português. O blog pretende constituir uma pequena introdução à filosofia e aos seus problemas, divulgando livros e iniciativas relacionadas com a filosofia e recorrendo a uma linguagem pouco técnica, simples e despretensiosa mas rigorosa.

Posts Recentes

NOVO ENDEREÇO: http://fil...

Nova religião digital

Problemas again

Escolha um título,...

A censura na nova religi&...

Filosofia na web – ...

Mais um “AQUI&rdquo...

Uma situaçã...

E?

Exigências para se ...

Arquivos

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Favoritos

Relação entre a filosofia...

Luta na filosofia ou redu...

A filosofia não é uma arm...

Argumentos dedutivos e nã...

16 de NOVEMBRO DE 2006, D...

PAGAR NA MESMA MOEDA

Um ponto de vista comum n...

DILEMA DE ÊUTIFRON

O que é a validade?

Nova Configuração no Blog

Sites Recomendados

hit counter
Clique aqui para entrar no grupo artedepensar
Clique para entrar no grupo artedepensar
Contacto via e-mail
AddThis Feed Button
RSS